Acompanhe este Blog clicando em SEGUIR

sexta-feira, 26 de março de 2010

Ei Você, é Hora de Pregar!!!


Por Gerson Luiz G. de Lima
Comunidade Evangélica Restauração & Vida

O escritor Robert Sauce em seu livro SANTIFICAÇÃO, editora Vida, menciona a história da abolição da escravatura nos E.U.A. em 18/12/1865 com a famosa décima terceira emenda. Muitos escravos sequer entenderam o que foi promulgado, muitos outros preferiram continuar escravos, outros foram "enrolados", e outros tantos morreram sem sequer experimentar a liberade. Passaram-se décadas e tinha negros que não sabiam que eram livres. Seus opressores tratavam de tentar subjugá-los com pressões. No Brasil a escravatura foi abolida em 13/05/1888, mas os efeitos foram similares.

Para muitos escravos a abolição foi algo posicional mas não prático, como se diz em matéria de Direito: eles estavam livres de direito, mas não de fato. Para si mesmos eles não estavam escravos... eles eram escravos. Não tinham sequer uma lembrança do que fosse liberdade.

Jesus Cristo, trouxe nossa Abolição da escravatura do pecado, da morte e do juízo a quase dois mil anos atrás. Ele veio para tivésemos vida e vida em abundância (João 10:10). Veio cumprir a lei por nós, que dizia "maldito de Deus todo aquele que morrer no madeiro" (Deuteronômio 21:22-23).

Em Isaías 53:6 lemos que"...mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos". De fato, aquele homem Jesus, o Filho de Deus, era o próprio Deus fazendo o que não podíamos fazer por nós mesmos - TRAZER SALVAÇÃO. O apóstolo Paulo nos diz isso dessa maneira: "...Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo mesmo o mundo...".

Mas, tal como os algozes senhores dos escravos, o diabo tem feito de tudo para que a humanidade não perceba que Cristo Jesus veio trazer-lhes abundante vida. É nosso dever de proclamar a humanidade a verdade de Cristo.

Imagine esta cena. O senhor e seus feitores numa fazenda qualquer subjugando os escravos, mas a notícia da abolição vazou e ele tenta contornar dizendo: "Não é bem assim, a lei diz que vocês vão ser livres um dia. Não será agora. É algo que ainda vai acontecer. Blá, blá, blá". Mas então eles ouvem gritos e brados felizes vindos de fazendas vizinhas e não demora muito para contemplarem centenas de escravos passando por ali bradando "livres, enfim, livres". Os algozes já não podiam mais enganá-los, e nem detê-los.

Jesus disse: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará... Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (João 8:32 e 36).

Cumpre-nos levar a humanidade ao conhecimento da graça salvadora de nosso Senhor Jesus Cristo. Pelo amor às almas, levemos aos povos essa mensagem gloriosa.

É sabido que uma coisa foi os escravos terem sidos "libertados", outra foi conquistarem sua cidadania. Mas os paralelos entre a abolição dos escravos e a Salvação de Nosso Deus acabam aqui. Deus nos dá a salvação e nos torna cidadãos do Seu reino glorioso, conforme Paulo escreveu aos Efésios 2:19: "Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus".

O apóstolo Pedro também disse isso de maneira magnifica em 1 Pedro 2:8-9: "Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia".

E não podia faltar uma Palavra assim do apóstolo amado - João, no livro de Apocalipse 1:6: "E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém".

O nosso inimigo tem tentado dissimular a mensagem (Mateus 13:25-43) e reduzí-la a nichos religiosos. Tiago informa-nos que a religião não é ruim em si mesma. Mas é certo que a religiosidade (na realidade o termo deveria ser religiosismo, que não é reconhecido nos dicionários), tem impedido o acesso ao reino. Esse problema tem feito que muita gente na igreja seja pedra de tropeço ao invés de pedra de passagem.

Como Jesus disse aos fariseus em Mateus 23:13: "Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando".

Nota-se hoje em dia, novas formas de religiosidade e cristianismo frio. O cristão quer seus direitos: direito de prosperar, de se divertir, de triunfar. Nada disso é errado dentro da medida dos princípios bíblicos, mas Paulo pensava mais era sobre seus deveres: "ai de mim, se não anunciar o evangelho!" (1 Coríntios 9:16). Parece que a Igreja daquela época pensava assim. Quando lemos as narativas da grande comissão nos Evangelhos impressiona-nos a conjugação no Imperativo afirmativo: "IDE" (Mateus 28:19). Isso é uma ordem e não um pedido.

As pessoas estãos morrendo no erro, no pecado e sem salvação. Precisamos levar a mensagem gloriosa, a mensagem de redenção, pois Jesus disse "que em seu nome se pregasse o arrependimento a todas as nações" (Lucas 24:47).

Creia nas palavras do Evangelho. Creia e pregue, pois "... Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo" (1 João 3:8).

Deus confia a nós a palavra da salvação. Somos seus embaixadores. Quanta honra!!!

Um embaixador é a voz de seu rei (ou presidente). Somos a voz de Deus na Terra, como se o próprio Deus rogasse através de nós (2 Coríntios 5:19-20). Não podemos ser uma "vozinha" como a de gatinho desnutrido, mas devemos ser o brado de autoridade do LEÃO DA TRIBO DE JUDÁ, pois somos seus representantes aqui. A própria Bíblia diz de Deus: "Troveja o Rei da Glória" (Salmo 29:3).

Desperta tú que dormes e o Senhor te esclarecerá. Testemunhe e pregue, a tempo e fora de tempo e o Senhor confirmará sua mensagem com sinais e maravilhas (Marcos 16:20). Uma marca certa da presença do Espírito Santo na vida do cristão é que ele se torna uma testemunha veraz (Atos 1:8). Testemunhar não é só pregação ou o compartilhar de vitórias e conquistas na igreja. Somos testemunhas quando falamos e ainda mais quando somos o próprio testemunho.
A muitos anos, um certo missionário foi pregar na Zâmbia. Quando falava a uma tribo sobre Jesus, um velho nativo disse-lhe: "Sim, eu conheço esse Jesus. Ele esteve aqui conosco a muitos anos, quando eu era menino". O missionário descobriu que a tribo havia sido evangelizada por volta de 1865 por David Levingstone. O missionário trazia em si as características de Cristo que fora confundido com o próprio Senhor. Que maravilha das maravilhas! Queridos, tenhamos em nós também a imagem restaurada de Jesus, nosso Senhor (2 Coríntios 3:18).
Tenho muito a dizer, mas as linhas já se multiplicaram aqui. Quem sabe continuo em outra oportunidade. Por ora, quero partilhar um trocadilho que compus com relação à nossa missão:
Pedimos a Deus: "Senhor, me dê poder que eu irei".
Deus diz: "Vá que eu te dou poder".

Quero encerrar como minha irmã em Cristo, Michele Coutinho do abençoado Blog PALAVRA DO DIA: clique no link abaixo e ouça a bela mensagem de Ludmila Ferber - NUNCA PARE DE LUTAR: http://www.youtube.com/watch?v=9_s8YYxEpaQ <>

terça-feira, 23 de março de 2010

Ministério Forjar - Força Jovem e Adolescente Restauradora (R&V)


Nessa foto podemos ver o grupo de jovens e adolescentes da Comunidade Evangélica Restauração e Vida.

O ministério chama-se Forjar - Força Jovem e Adolescente Restauradora.

Por muitos anos o grupo era de apenas quatro jovens e três adolescentes.

Clamávamos como Ana clamou por Samuel, como Raquel clamou por José e como na canção de Fernanda Brum "Dá-me filhos se não morro".

Mas depois de que a fidelidade foi provada o Senhor abriu a madre da Igreja. Esse ano o grupo chegou a mais de vinte e cinco.

A maioria ainda aprendendo sobre a fé, mas certamente uma incumbência que Deus nos confiou e que nos deixa honrados: Fazer discípulos (Mateus 28:19)

Ministros de Deus, mas ainda humanos

Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida

Textos p/ estudo: 2º Coríntios 1:3-11, Hebreus 13:7-17, 3º João 1-4

Versículo Chave: Hebreus 13:6 e 17 “... Lembrai-vos dos vossos guias... Obedecei aos vossos guias e sede submissos a eles, pois velam por vossas almas”.

Deus colocou na Igreja a sua hierarquia, não para mostrar quem manda em quem. Mas para orientar a cada discípulo a seguir os passos de nosso Senhor Jesus.

É uma alegria ao pastor, que ama a obra que Deus lhe confiou, ver que o povo se firma e cresce na verdade e na firmeza do Evangelho.

Não obstante, os líderes da igreja são humanos, limitados pelo tempo e espaço, possuem sentimentos, sofrem na mesma medida, ou até mais que os demais cristãos, e erram também, ainda assim, são ministros de Deus.

Podem ser carismáticos, ótimos na pregação, motivados pelo Espírito de Deus, usados nos dons do Espírito, podem realizar milagres e maravilhas (afinal, os dons estão disponíveis a todo o corpo), sua oração pode submeter enfermidade, e espíritos imundos (essa também é uma promessa para toda a Igreja) mas ainda assim são humanos.

Pensamento dia: Estarei orando, compreendendo, ajudando aos meus líderes na Igreja, quero a bênção de Deus sobre mim”.

segunda-feira, 15 de março de 2010

É preciso Testemunhar!

Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração & Vida

Textos para estudar em sua Bíblia: 1 Coríntios 9:15-27 e Colossenses. 4:2-6

Versículo Chave: “... A vossa palavra seja sempre temperada com sal ao gosto de todos, para que saibais como convém responder a cada um.” (Colossenses 4:6)





Queridos,

Nos textos acima, o apóstolo Paulo abre-nos sua visão da urgência em testemunhar do Evangelho de Jesus, nosso Senhor. Para isso ele disse que precisamos:
  • Ter senso da urgência de nossa missão;
  • Aproveitar bem o nosso tempo, com base em nossa missão;
  • Ser sábios na maneira como nos relacionamos com quem ainda não segue a Cristo;
  • Ter uma Palavra amável, agradável, cativante e graciosa, mesmo quando tivermos que defender santidade de nossa vida cristã;
  • Temperar nosso testemunho com “sal”, ou seja, nossas posições precisam ter o “sabor e Cristo”, posições que tenham um significado que oriente nosso ouvinte.
Pensamento dia: Nessa questão de testemunhar de Cristo, não podemos dar uma de agentes secretos de Deus. É urgente que brilhemos nossa luz para iluminar as pessoas.

Tenham um ótima Semana!!!

sexta-feira, 12 de março de 2010

A Marca do Amor

Por: Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida
Texto base: João 13:31-35

Versículo Chave: João 13:35 “... Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros”.

Uma velha canção cristã dizia em seu refrão “O amor não sentimentos não, sentimentos sempre vêm e vão. O amor faz sempre bem a todos, mesmo sem sentir, é tua a escolha, tens que decidir”. Deveras, expressões de amor valem muito!!!

Quem hoje precisa perceber os atos de amor em tua vida? Haveria alguém hoje que careça de carinho, palavras de afirmação ou mesmo uma orientação ou correção firme, mas amorosa? Quem o Senhor coloca em tua agenda e desafia o teu discipulado com a missão de amar, apesar dos pesares?

Pensamento dia: Estarei atento às marcas do amor no dia de hoje, conforme 1 João 3:18 “Meus filhinhos, não amemos de palavras ou de língua, mas por obras (ações) e em verdade.”

Bom Fim de Semana!

quarta-feira, 10 de março de 2010

Hoje é dia de Brilhar


Crescendo através da oração e do testemunho
Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida
Texto: Mateus 5:1316

Versículo Chave: Mat. 5:16 “... Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem o vosso Pai que está nos céus.”

Querido leitor, Cristo confia-nos o privilégio de levar a mensagem da salvação e do grande amor de Deus às pessoas.

Mesmo com todos os desafios, problemas, dificuldades e limitações que temos, ainda assim podemos brilhar como luz para este mundo. Aliás, a maneira como lidamos com tudo isso, está sendo observada pelas pessoas, e certamente pode inspirá-las a descobrir nosso segredo de bom ânimo. O segredo é “Cristo em nós, a esperança da glória”. (Col. 1:27).

Pense nisto!!!

Pensamento dia: “Sua vida poderá ser a única bíblia que alguém venha a ler”

CRIE UM DIÁRIO

Faça um relatório sobre os quesitos abaixo. Isso ajudará a disciplinar-se em devocionais diários com Deus. E anote:

  • Horários em que orei:
  • Motivos de Oração:
  • Textos bíblicos que estudei:
  • Minhas reflexões sobre o período de comunhão com Deus:
  • Para quem testemunhei do amor, de Cristo Hoje?
  • Quem convidei para ir a Igreja?
  • A qual irmão ou irmã animei a mobilizar-se?
  • Resumo do dia: (coloque suas impressões do dia, acertos, erros, pontos fortes e fracos, seu compromisso de mudança)
Que Deus te abençõe grandemente.
Na paz do Senhor,
Gerson Luiz

sexta-feira, 5 de março de 2010

Gideão - A hora de ter experiências com Deus!!!

Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida

Texto base Juízes 6:11-24

Gideão e o contexto de sua situação:

Gideão pertencia a uma geração que vivia sob a opressão de povos inimigos, que subjugava-os: amalequitas e midianitas saqueavam o povo, sua lavoura e gado. O povo não tinha poder de defesa (exército).

Não é normal o inimigo entrar em nossa vida e nos roube a paz, a felicidade, a moral, o desejo de viver e de servir a Deus. Se estiver acontecendo: Algo está errado. O normal é a Igreja (que é formada por pessoas remidas no Senhor), entrar no Inferno, arrombando suas portas e salvando vidas de lá (... diante dela as portas do inferno não prevalecerão Mateus 16:15).

Uma geração que, fruto também do afastamento de Deus e sua Palavra das gerações anteriores, tinha conhecimento de Deus apenas de "ouvir falar", porém tinha as maravilhas realizadas pelo Senhor como uma coisa do passado. Um passado distante. Gideão pergunta para Deus: “O Que é feito das maravilhas que ouvimos que ocorreram no passado?” Notem o verbo: ouvimos. Não havia experiência com Deus somente histórias contadas. Algo estava perdido e Deus começava a restaurar.

É necessário que o povo de Deus tenha experiências com Deus, pois isto é manifestação de fé e sem fé é impossível agradar a Deus (Heb. 11:6).

A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus (Romanos 10:17). Vejam a responsabilidade nossa (dos pregadores) em anunciar todo o conselho de Deus, e vossa, de ouvir, considerar e aplicar a Palavra.

disse: “antes eu te conhecia de ouvir falar, mas agora meus olhos te veem” ( 42:5)

Deus cutucou a fé de Gideão. Gideão respondeu abrindo o coração de verdade: o que de fato ele pensava de Deus e das histórias do passado, sua indignação pelo seu estado atual e de sua nação. (Deus incentiva que tenhamos orações sinceras e verdadeiras com ele: sem verdade e liberdade de expressão não existe real comunicação)

Embora Gideão se sentisse inadequado, Deus o chamou e comissionou e disse que não lhe acrescentaria nada, mas que fosse "NESSA SUA FORÇA". As vezes achamos que com nosso estado atual não dá, que nossa força não dá pra recuperar uma vida forte com Deus , mas só o que precisamos é IR NESSA FORÇA Juízes 6:14 (um mínimo de disposição) pois Deus diz: "Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás aos midianitas, como se fossem um só homem.
É interessantes notar que um homem com Deus transforma desvantagens e vantagens. Olha só a revelação: Não foram 135000 midianitas, amalequitas e povos do oriente contra 300 israelitas. Foram 300 israelitas contra 1.

Está na hora de termos experiências reais com Deus. chega de viver apenas de testemunhos de outros ou de passado. Deus quer que você retome o controle de sua vida, reconquiste sua dignidade na vida financeira, moral, espiritual, familiar, relacional, afetiva.

Por fim, faça provas com Deus, você tem o direito de saber se está indo na direção certa (veja Gideão em juízes 6:36-40)

Marque seu caminho de adoração: saiba como Deus fala com você, faça sacrifícios de louvor: votos, orações, jejuns, compromissos, dedicações e peça que Deus receba. Priorize o Senhor em sua vida: Dê a Ele o seu melhor.

Estabeleça com Deus um relacionamento de Paz: "Então, Gideão edificou ali um altar ao Senhor e o chamou: Jeová Shalom (O Senhor é a Paz)..."

Após isso Gideão teve forças para começar a completa vitória de sua missão:
• Derrubou o primeiro inimigo (SEU EU)
• Derrubou o segundo (ALTARES DE BAAL EM SUA PRÓPRIA CASA)
• Enfrentou as oposições
• Suportou adversidades internas (falta de apoio do restante das tribos, redução de um, a princípio, já pouco número de soldados 32000 para 300
• Venceu com 300 homens, 135000, como se fossem 1 só.

SOMENTE DEUS PODE CAPACITAR ALGUÉM DESSA MANEIRA:

E quanto a nós, não está na hora da nossa revolução na fé?

Meditem nisso.

É hora de tomarmos decisões e posições ao lado de Cristo. Agir, determinar, quebrar o domínio do inimigo: diabo, circunstâncias, problemas, o eu próprio de cada um, e marcharmos para Cristo.

DÍZIMOS e OFERTAS: Detalhes que influenciam a bênção divina (parte 4 - final)

O Sacrifício que Deus aceita...
Detalhes que influenciam a bênção divina 
(parte final)
Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida

MOTIVADOS PELO AMOR: (Texto de apoio: João 12:3-8)

A mulher na casa de Simão o leproso, Maria, irmã de Marta, e tantos outras pessoas na Bíblia e por toda a história, inclusive nos dias de hoje, são exemplos de pessoas que demonstram pelo ofertar o melhor, até mesmo ao exagero, seu amor ao Senhor.

Abraão não poupou sequer a Isaque, Davi recusou-se a "sacrificar sem sacrifício", e foi chamado "homem segundo o coração de Deus". E Deus honrou a cada um. Ele sempre permanece fiel, a Palavra da bênção já foi dada. Isso é amor profundo. Tomemos posse da promessa pela Fé.

Mateus 26:7-10 (leia em sua bíblia de 12:6 a 13:6): - " 7 E, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso, Aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com ungüento de grande valor, e derramou-lho sobre a cabeça, quando ele estava assentado à mesa. 8 E os seus discípulos, vendo isto, indignaram-se, dizendo: Por que é este desperdício? 9 Pois este ungüento podia vender-se por grande preço, e dar-se o dinheiro aos pobres. 10 Jesus, porém, conhecendo isto, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? pois praticou uma boa ação para comigo..."

Paulo, o apóstolo, falando sobre o amor em I Coríntios 13:13, culmina dizendo: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.” O amor, por sua vez, cuida, protege e procura agradar o objeto de amor. 

Paulo, também disse em 2 Coríntios 9:7 “Cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.”

A maior motivação para ser dizimista é agir por Amor a Deus e a sua obra.
O amor nos motiva a fidelidade a Deus. Davi mesmo disse ISSO quando seu servo Arfaúna queria dar-lhe a propriedade gratuitamente para ele ofertar sacrifício a Deus, veja 2 Samuel 24:24: "Mas o rei respondeu: — Obrigado, não aceito. Eu vou pagar tudo isso. Eu não vou oferecer ao SENHOR, meu Deus, sacrifícios que não me custaram nada...( Tradução Ling. Hoje).

Chegamos ao final deste estudo sabendo não ter esgotado o tema, mas esperando ter contribuído para seu crescimento espiritual. Agora é com você. A decisão é sua.

Seja um dizimista fiel na casa de Deus. Onde você coopera e recebe o alimento espiritual, deve ser o lugar onde você cumpre o ato de ser dizimista e ofertante fiel, apenas veja que deve ser uma Igreja cristã que esteja comprometida em estabelecer o Reino de Deus e fazer conhecido a salvação por Jesus Cristo, nosso Senhor.

As bênçãos prometidas em Malaquias 3:10-12 serão verdades em sua vida.

Fique na Paz.

Com amor,

Pastor Gerson Luiz 
Comunidade Restauração e Vida

DÍZIMOS e OFERTAS: Detalhes que influenciam a bênção divina (parte 3)


O Sacrifício que Deus aceita...
Detalhes que influenciam a bênção divina
(parte 3)
Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida


Vamos continuar o assunto de contribuir para a casa de Deus.
PERCEBENDO DETALHES DA PROMESSA:
Bem, ouvi uma estória interessante dias desses. Um circo estava no mesmo quarteirão de uma Igreja. O circo vivia cheio e a Igreja vazia. O pastor encontrou-se com o dono do circo e perguntou-lhe qual o segredo de manter sua tenda sempre cheia, ao que o circense respondeu: "Aqui vivemos a ilusão como se fosse verdade, mas pelo jeito em sua igreja, vocês vivem a verdade como se fosse ilusão".

Sempre que oro na Igreja sobre dízimos e ofertas, peço a Deus que haja uma diferença entre quem serve a Deus de quem não serve, entre quem é fiel de quem não é. Para quê? Para que a palavra de Deus se confirme sobre os fiéis. Não é bom para o Evangelho quando pessoas dizimistas vivem em uma condição precária. Mas o que acontece então? Por quê vemos pessoas que não dão o dízimo em condições melhores do que os que dizimam?

Já falamos acima um pouco sobre isso, mas vamos ao ponto: Deus não se agrada de de castigar alguém, mas tem sua lei de abençoar. (Malaquias 3:16-18)


- Então aqueles que temeram ao SENHOR falaram frequentemente um ao outro;
e o SENHOR atentou e ouviu; e um memorial foi escrito diante dele, para os que temeram o SENHOR, e para os que se lembraram do seu nome.
- E eles serão meus, diz o SENHOR dos Exércitos; naquele dia serão para mim jóias;
poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve.
- Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio;
entre o que serve a Deus, e o que não o serve.

Nós nos relacionamos com Deus apenas por intermédio da Fé. E de fato, sem Fé é impossível agradar a Deus. Então, muitas vezes Ele permite que enfrentemos situações difíceis para nos levar a utilizar os recursos da Fé.

Veja então, que não é que o não-dizimista esteja em condição melhor do que o dizimista, mas que o dizimista não está utilizando os recursos que lhe foram outorgados.
É como se uma pessoa vivesse morando de aluguel e trabalhasse em um emprego ganhando R$ 300,00, sem carro vivendo numa condição de menos recursos do que outro que more em uma casa de 100 m2 e tem um carro ganhe R$ 2000,00.

Não que o primeiro seja como ser humano inferior ao segundo mas, obviamente, que o segundo tem melhor padrão que o outro. Mas imagine também, que o segundo não tem herança e o primeiro tem como herança de uma Mansão e milhões de reais, guardados. Os motivos pelo qual o primeiro cidadão não ter usado seus recursos podem ser: ele não sabe da herança; ele não quer usar a herança; ou ele é negligente em reivindicar a herança.

O que quero dizer é que Deus não precisa pesar a mão sobre o não dizimista, mas Deus quer reforçar a bênção do dizimista, para isso o dizimista fiel, deve crer e apossar-se da bênção de Deus.

Veja a dimensão disso sob o prisma do texto de Malaquias 3:10-12:


"E depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes".

Aqui o Senhor nos autoriza a fazer prova d´Ele, ou seja, se após praticarmos o ato de dizimar e ofertar a bênção não acontecer, faça prova d´Ele. Pois a promessa aqui é de que a benção seria de tamanho a sequer ter onde guardar. Exagero? Nem um pouco, fale com quem inspirou a palavra, Deus. O que implica aqui é a abrangência da visão do dizimista fiel. Quando Deus chamou Abraão, de tempos em tempos ele renovava sobre Abraão A SUA VISÃO. Em duas dessas ocasiões o Senhor lhe disse:
(Gênesis 13:14-18)


- E disse o SENHOR a Abrão, depois que Ló se apartou dele: Levanta agora os teus olhos, e olha desde o lugar onde estás, para o lado do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente; - Porque toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre. - E farei a tua descendência como o pó da terra; de maneira que se alguém puder contar o pó da terra, também a tua descendência será contada. - Levanta-te, percorre essa terra, no seu comprimento e na sua largura; porque a ti a darei. - E Abrão mudou as suas tendas, e foi, e habitou nos carvalhais de Manre, que estão junto a Hebrom; e edificou ali um altar ao SENHOR.
(Gênesis 15:5-6)


- Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência. - E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça.



Deus estava, entre outras coisas, trabalhando na vida de Abraão, algo que está faltando muito ao povo de Deus, por causa da religiosidade e pela falta de conhecer a palavra de Deus, por medo ou negligência em apropriar-se dela: Deus trabalhava em Abraão sua PERSPECTIVA – VISÃO.

Note as partes em negrito nos versículos.

Sabe o que fez Abraão quando recebeu a promessa de Deus:

Em Gen. 13 - Ele agiu, mudou as suas tendas para onde estava a promessa.
Em Gen 15 - E creu ele no SENHOR, e foi atribuído isto por justiça. ·

- E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra

Aqui é possível ver a bênção do Senhor. Tem gente que tem muitos recursos financeiros mas algo está errado: Sente-se que não há satisfação ou realização.

Outros ainda há que tudo que fazem se desfaz do nada e sem explicação. Ganham e perdem tudo indelevelmente.
Olhe para o dizimista fiel e consciente. Ele passa por problemas como os outros também, mas há uma diferença sensível e perceptível, uma bênção, uma proteção, um anjo que repreende o devorador. Ele pode ter poucos recursos até, mas parecem multiplicar-se em suas mãos. Não importa os outros não entenderem, mas a satisfação permeia sua vida.

E o que faz o devorador? Destrói o fruto do trabalho. Nem sempre perdas abertas de dinheiro ou recursos, mas também uma inquietude que persiste: problemas que afetam a saúde, o relacionamento familiar, o desenvolvimento profissional.

Entenda, não quero dizer que estes problemas sejam apenas causados pela falta do dízimo. Mas o fato de ser dizimista fiel atrai a promessa de Deus de REPREENDER O DEVORADOR, somente Ele pode faze-lo.

Ainda tem o problema das dívidas. Deus não tem plano de ver seu povo com dívidas, com o nome prejudicado, e cabisbaixo pela vergonha que advém disso. É Claro que existem diversas implicações, mas ao tomar o compromisso de se tornar dizimista na Casa de Deus, você atrai e confirma essa cobertura contra o devorador.

·e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.

O trabalho, o lar, o ministério... tudo será frutífero. É tão difícil remar, remar e remar, mas não sair do lugar. De investir recursos em projetos que não trazem retorno. A promessa de Deus é que nossos esforços não serão em vão. Reinvindique a Deus o cumprimento dessa promessa, nós já vimos anteriormente que Deus está comprometido com sua Palavra e nos autorizou a pó-lo á prova:

“Provai e vede que o Senhor é bom.” (Salmo 34:8)·
- E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos.
A perspectiva correta no tocante ao dizimista fiel, são as pessoas reconhecerem nele a bênção do Senhor. O certo é que as pessoas queiram saber o nosso segredo de vitória e não o dizimista fiel estar querendo aprender o segredo do ímpio.

Tenho em mente que o segredo de Deus para a abundância é a própria abundância. Ele mesmo nos disse em Lucas 6 - 38

“dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também”.

Quando agimos por fé, com interesse na obra do Senhor, inevitavelmente nos tornamos cooperadores da obra d´Ele, como dizimista e ofertantes fiéis, bem como outras atividades que a Igreja é chamada a fazer: evangelizar, testemunhar, orar, etc..

Paulo, o apóstolo, disse em I Coríntios 15:58: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.”

Certamente o ato de ser dizimista ou ofertante da casa de Deus, é uma obra.
Voltando a Abraão, vemos que ele foi chamado de pai da fé, porque agia por fé. Lemos em Hebreus 11:6 que “Sem fé é impossível agradar a Deus.”

Já Tiago nos ensina em seu livro que as obras denunciam nossa fé, Tiago 2:

- 17 Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. 18 Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. ...19 Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem. 20 Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? 21 Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? 22 Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada. 23 E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus. 24 Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé. 25 E de igual modo Raabe, a meretriz, não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho? 26 Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.

(continua)

DÍZIMOS e OFERTAS: Detalhes que influenciam a bênção (divina parte 2)


O Sacrifício que Deus aceita...
Detalhes que influenciam a bênção divina (parte 2)
Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida

PRIORIZANDO A DEUS:
Quando examinamos a Palavra de Deus, não com preguiça ou pensamentos pré-concebidos e já formados, podemos ser confrontados com a urgência de priorizar a Deus.
O texto áureo sobre o dízimo e ofertas, de Malaquias 3:8-12, passa despercebido para muitos hoje, porque já virou tema de debates e embates religiosos. Mas tentarei acender novamente a chama de vitória desse texto, apresentando brevemente algumas observações sobre o mesmo.

Note:

Dízimos são primícias entregues à Deus por aqueles que o servem. Deus tem sido o primeiro na sua vida? Para quem você tem dado as primícias, o melhor de sua vida? Qual o sua perspectiva quando recebe seu salário? As contas, os compromissos, o lazer? Está errado. O dizimista fiel separa primeiro as primícias para Deus e depois vem o resto: (Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça e todas estas coisas vos serão acrescentadas).

Você conquistou algo grande? A quem você primeiro compartilha? Sua família? Errado, primeiro é Deus e depois sua família.

O melhor deve ir para Deus, primeiro. Fidelidade é questão séria.

Muitos não dão o dízimo porque estão confortavelmente bem estabelecidos financeiramente e acham que o dízimo é algo que fazemos para "chamar a bênção financeira". Talvez não falem ou pensem assim conscientemente, mas agem de tal forma. Trazer o Dízimo e Ofertar é um ato de adoração, gratidão e amor. E como já aprendemos amar é dar mesmo sem receber em troca.

Muitos alegam que não dão o dízimo porque "Deus sabe que não podem", pois as coisas estão difíceis, aí estes esquecem que o dízimo é um ato de fé e envolve o sacrifício, termo qual trouxe a definição logo acima.

Muitos deixaram de dar o dízimo porque "não viram mudança", estes confundem requerer a promessa de Deus com barganhar com Deus.

Podemos e devemos reclamar o cumprimento da promessa que Deus deu (e isso vale para qualquer promessa que ele tenha nos outorgado), mas jamais passar a fina linha para o lado da chantagem e barganha, pois "Deus não se deixa escarnecer";

DEUS ESTÁ COMPROMETIDO COM SUA PALAVRA:

Em sua Palavra Deus diz: (Malaquias 3:10-12): - Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. - E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. - E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos.

Bem queridos, na Santa Palavra lemos Deus dizendo: (Jeremias 1:12): - E disse-me o SENHOR: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para cumpri-la.

Deus está comprometido com sua Palavra e Ele nos garante que ELE É FIEL: (II Timóteo 2:13) - Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.

Sem manipular as palavras da Palavra de Deus: quando lemos no texto acima "FAZEI PROVA DE MIM SE EU NÃO VOS ABRIR AS PORTAS", o que devemos pensar? Que quem é fiel pode fazer prova d´Ele? Sim com toda certeza. Traga o dízimo e faça a prova. É esta a palavra de Deus, seja fiel nisto e faça prova com Deus. Alguns estão na minha frente no assunto de novo, e estão a pensar o que é ser fiel. O que o dicionário nos fala então?

Vamos a ele: fiel, do Lat. fidele: adj. 2 gén., que cumpre aquilo a que se obriga; exato; certo, verídico; firme; leal; fig., que não furta; probo, honesto; pontual; perseverante; afeiçoado, sincero;

RECOMEÇO:

Alguém pode-se perguntar: "E agora, se eu deixei de ser dizimista, se sou mas não sou fiel, ou se nunca fui, o que será de mim?" Esta questão é bem levantada.

Vamos a ela com a Palavra de Deus: (Malaquias 3:8-9) - "Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. - Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação."

Entendo que aqui, nesse ponto, o povo não estava praticando o ato de Trazer o Dízimo e ofertas a Casa de Deus. Como Deus resolveu o problema? Disse Ele: "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa (vers. 10).

Não existe outra coisa a fazer: penitências, renegociação etc.. Comece ou recomece agora mesmo e passe a ser-lhe fiel, passe a ser dizimista da casa de Deus.

Recorrendo novamente ao dicionário define-se dízimo como: dízimo, do Lat. decimu: s. m., a décima parte; contribuição que se paga à Igreja e que consistia na décima parte dos frutos colhidos; adj., décimo.

Leia o que diz a Palavra de Deus em Provérbios 3:9 - "Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos".

Neste texto entendemos que a somos chamados a honrar a Deus COM A PRIMEIRA PARTE. Sem dúvida, honrar a Deus é um ato de adoração, pois o dicionário define o termo honrar assim honrar: do Lat. honrare: v. tr., conferir honras a; enobrecer; distinguir; elevar, engrandecer. Esta definição está muito ligada ao termo louvar. (continua)

DÍZIMOS e OFERTAS: Detalhes que influenciam a bênção divina (parte 1)






O Sacrifício que Deus aceita,
detalhes que influenciam a bênção divina.

Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Comunidade Evangélica Restauração e Vida

INTRODUÇÃO:

Falarei nesse assunto sobre O Sacrifício que Deus aceita, detalhes que influenciam a bênção divina.

Texto Base: Gênesis 4:3-9, versículos chaves 4:3-4. - E aconteceu que ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. E Abel também trouxe dos primogênitos de suas ovelhas, e da sua gordura. E atentou o Senhor para Abel e sua oferta"


Quando falamos sobre dízimo muitas e muitas são as opiniões em dois grandes grupos os que apóiam e os que não apóiam o ato de dar o Dízimo e as Ofertas.

Não tenho a pretensão de esgotar o assunto, mas me posicionar e contribuir a favor do ato de praticar em Dízimo a casa do Senhor (a Igreja).

No texto lido destaquei em negrito a diferença de atitude de Caim e de Abel, para que possamos entender a diferença em como Deus vê também nossa devoção.

1º - a Bíblia diz que: E aconteceu que ao cabo de dias, que Caim, ou seja, passado dias, Caim levou sua oferta ou sacrifício ao Senhor. O que tem isso demais? Tudo. A terra produziu o fruto de seu trabalho, mas ele não entregou de fato o melhor, entregou o que sobrou, e depois de algum tempo. Ele deu, mas não foi o melhor, não foi por adoração, foi por obrigação.

 2º - com Abel foi diferente, ele trouxe dos primogênitos. Outras traduções trazem: E Abel trouxe do melhor de suas crias e das melhores partes deles uma oferta ao Senhor. O texto aqui é auto explicativo e você já deve estar na minha frente no pensamento. Sim, Abel teve seu ato de adoração aceito, pois colocou Deus em primeiro lugar.

LIÇÕES QUE SE APRENDEM:

Dias desses aprendi uma lição sobre isso, que influenciou muito minha vida. Sai com um amigo e tivemos de ir ao banco. Ali, ele fez dois saques, o primeiro retirou uma parte e colocou num envelope e em seguida fez outro e guardou em sua carteira, e ficou muito feliz porque as notas do primeiro saque eram novinhas. Já tendo certeza do que ele fazia, perguntei-lhe mesmo assim o porquê ele fez aquilo. Ele disse: Colocar Deus em primeiro lugar é um ato que não passa despercebido pelo Senhor. Ele sabe quando é preterido ou quando realmente é posto em primeiro lugar

Isto foi numa sexta-feira. Na segunda seguinte ele me liga e diz que o faturamento de sua empresa cresceu R$ 10.000,00/mês com um cliente que começou a consumir mais.

Este mês aconteceu que estando o meu colega com o tanque de combustível baixo e bem no dia em que seus proventos caíram na conta corrente, ele poderia ter chego ao posto de gasolina próximo a sua casa, mas como estava sem dinheiro em espécie, teria de pagar com cartão, sabe o que ele fez? Foi a pé até um quiosque de banco 24 horas que ficava mais longe (umas 30 quadras de sua casa) para sacar primeiramente o dízimo e colocar no envelope, voltou a pé e só depois colocou combustível... Exagero?

 Outro amigo meu, lançou um excelente produto no mercado. Dizimista fiel, ele passou por mês onde não saiu um pedido sequer. Ele disse: "Deus, como fazer para dizimar em sua casa este mês? Não tem nenhum pedido, nenhum faturamento." Nesse instante ele lembrou que embora nenhum pedido tenha sido faturado, ele e sua família, comeram, ele usou o carro, telefone, internet e pagou algumas contas. Ele calculou o valor de seu orçamento de saídas e disse "se eu paguei isso, o dinheiro veio de algum lugar, então, é desse valor que retirarei o dízimo". Ele arrumou algo para entregar no altar. Deus o honrou, usou alguém para falar-lhe coisas que eram respostas de assuntos que ele havia falado com Deus a sós.

Dias passaram e parecia que nada tinha mudado, mas então numa sexta-feira, o telefone começa a tocar e tocou o dia inteiro de modo que num só dia ele angariou pedidos para todo o mês de produção. Este mês não tem sido diferente com ele estava com um pedido grande mas apenas para agosto, Deus honrou-o novamente, entrou pedido para junho, julho, agosto e só haverá condições de entrega após 20 de agosto. Toda sua capacidade de produção foi tomada.

 Precisamos dar uma adoração extravagante para Deus, mas como provar isso se nas horas de sacrificar não nos dispomos?!

Veja o que o dicionário ditcom nos informa sobre a Palavra SACRIFICAR:


sacrificar, do Lat. sacrificare: v. tr., oferecer à divindade em sacrifício, em holocausto; imolar como vítima; abandonar, renunciar voluntariamente a; sujeitar a perigos; tornar vítima (alguém ou alguma coisa) de um interesse, paixão, de um fim a realizar; v. int., fazer sacrifícios por alguém; v. refl., oferecer-se em sacrifício; consagrar-se inteiramente a alguém ou a uma idéia; tornar-se vítima.


Quando se fala de sacrifício, muitos não acham que o dinheiro faz parte. Mas olhe bem, quando alguém sacrificava no passado dava bois, cordeiros, novilhos e se a pessoa fosse pobre, dava uma pomba. Tudo isso eram seus bens sua propriedades, era a moeda de comércio da época. Quando dava, dava algo que lhe pesava no bolso. Jacó disse: ”De tudo quanto me deres certamente te darei o dízimo". GN. 28:22.

OS PAIS DA FÉ NOS ENSINAM COMO DAR O DÍZIMO E OFERTAR:

Abraão Creu no Senhor e isto lhe foi atribuído por justiça, tornando-se pai (pelo exemplo) daqueles que crêem. (Romanos 4:12) - E fosse pai da circuncisão, daqueles que não somente são da circuncisão, mas que também andam nas pisadas daquela fé que teve nosso pai Abraão, que tivera na incircuncisão.

Quando olhamos para a Bíblia, vemos no Pai Abraão um exemplo de dizimar com fé e por amor: (Gênesis 14:20) - E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo.

Jacó seguiu o exemplo do avô:(Gênesis 28:22) - E esta pedra que tenho posto por coluna
será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.
(continua)

Uma Fé que muda circunstâncias


PESCA MARAVILHOSA - Lições de Fé
Lucas 5:1-11


As histórias bíblicas estão repletas da cooperação mútua entre Deus e o ser humano, que conduziram a alegrias vitórias e sucessos, conquistas e realizações.

Trago a vocês uma dessas histórias para despertar-lhes ainda mais a fé em Jesus:

Após terem pescado uma noite inteira (no melhor horário para se pescar naquela região) Pedro e seus companheiros nada apanharam. Voltaram naquela manhã chateados mas, enfim, "o que se pode fazer não é? Foi uma noite difícil mesmo". Aportaram, desembaraçaram, lavaram e dobraram a rede.

Foi nesse momento que chega um homem chamado Jesus, que era conhecido como o carpinteiro de Cafarnaum e Nazaré, e pede emprestado o barco para poder pregar as palavras "do Reino de Deus". Como eles não pretendiam usá-lo emprestaram o barco ao pregador.

Depois de ter pregado, o Senhor Jesus diz a eles "subam no barco e voltem ao mar e lancem a rede no lado direito do barco". Pedro, pescador experiente, podia ter dito: “Ô carpinteiro, eu não fico dizendo a sua classe como fazer uma casa, vá se meter com o seu nariz".

Podia, mas não fez. Ele disse: "Mestre, ficamos a noite inteira no mar e não apanhamos nada, mas sob a tua Palavra, lançaremos a rede." Quando fizeram isso a rede encheu-se de tantos peixes, que tiveram de pedir ajuda a um outro barco, para que pudessem trazer a pesca para o ancoradouro.

Conhecemos essa história como a pesca maravilhosa.

Dentre as muitas lições que podemos tirar disso tudo, e quem sabe você poderá tirar as suas lições para toda sua vida, eu vejo pelo menos essa: que nenhum milagre aconteceria se eles não tivessem acreditado e voltado ao mar e lançado a rede novamente. Deus providenciou o milagre, mas sem lançar a rede, nada aconteceria.

No contexto nosso, é possível que digamos não dá mais nada mesmo. Porém, se Jesus estiver dizendo "lance a sua rede ao mar" o que você vai fazer, guardar o barco? Ou vai acreditar?

Na oração do Pai nosso dizemos " o pão nosso de cada dia, nos dai hoje", se não tiver fé, isso será apenas uma reza fria e impotente.

A fé que muda circunstâncias lança a rede sob a inspiração da palavra de Deus.

Lembre-se que a pesca era o meio de sobrevivência deles, era o trabalho, o empreendimento deles, o seu ganha pão. Ou era a pesca ou não tinha recursos para suprir seus sonhos, planos, orçamento.

O Jesus deles é o mesmo hoje. É o nosso Jesus. Ele não mudou. Como anda a nossa fé?

Não esqueça: LANCE A REDE

Questões para reflexão e/ou compartilhamento:
1. O que é fé para você?
2. Você está vivendo em fé?
3. A Igreja de hoje está vivendo em Fé?
4. Cite dois conceitos bíblicos de Fé, explique-os e identifique situações em sua vida nos quais você pode colocá-lo em prática.
5. Note a progressão de Paulo no texto abaixo, e identifique o que precisa ser corrigido no caminhar da Igreja no tocante a estes passos.

Leia Romanos 10 - 13 Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. - 14 Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? - 15 E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas! - 16 Mas nem todos obedeceram ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem acreditou na nossa pregação? - 17 E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo. - 18 Mas pergunto: Porventura, não ouviram? Sim, por certo: Por toda a terra se fez ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo.

Progressão:
a) Ir para pregar a Palavra
b) Pregar a Palavra para proporcionar a Fé
c) Ouvir a palavra do Senhor para crer
d) Crer no Senhor para invocar
d) Invocar o nome do Senhor para ser salvo

6. Examine o textos a seguir e identifique o que é necessário para o poder de Deus operar em nós:

  • Efésios 3:20 Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, 
  • Romanos 12:2 E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. 
  • Romanos 10:17 E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo. 
  • Atos 20:27-28 ...(27) porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus. (28)Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.


    No amor  de Cristo,
    Pastor Gerson Luiz Garcia de Lima
    SIGA-ME NO TWITTER: @gersonlgarcia

    Veja também:

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...