E Ele não abriu a sua boca

"Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca." Isaías 53:7

Cristo Jesus, Nosso Senhor, deu-nos o exemplo para seguirmos suas pisadas, e disse "aprendei de mim que sou manso e humilde de espírito", logo não podemos separar nosso viver cristão das implicações do nossso viver diário.

Dias desses, durante o período doloroso de recuperação pós cirurgia no ombro direito, eu estava ansioso por retomar a vida e pelas necessidades de minha família. E você sabe não é?, um assunto leva a outro e, precisando tomar algumas decisões e dar fluência a alguns afazeres no campo profissional e financeiro, comecei a fazer algumas ligações telefônicas e enviar alguns e-mails, etc.. Enfim, comecei a trabalhar, mesmo no momento imediato após a cirurgia em que o médico recomendava "repouso absoluto". Tentei me convencer de que ninguém segue as orientações à risca e de que meus pares comerciais poderiam estar esperando mais ação de minha parte, além do que, precisava trabalhar para conseguir dinheiro, pois não tenho renda fixa.

As respostas de meus contatos não estavam sendo as que eu esperava e somando a algumas outras portas fechadas e as dores decorrentes da cirurgia, isso tudo "encheu copo" e bastou uma gota mímima para transbordar.

Refletia sobre os cinco últimos anos de minha vida. Por quase vinte anos eu trocara minha profissão diplomada de Químico para trabalhar no comércio, e a cinco anos atrás aceitei o convite para trabalhar em uma empresa iniciante com uma boa idéia, na qual eu atuaria como um gerente geral, implantando todas as rotinas e processos e trabalhando com as demandas de pessoas.

Embora a mudança da rotina tivesse me dado muito mais tempo para ficar com minha família e fazer a obra de Deus e de eu estar motivado com a oportunidade, em exatos dois anos e meio, levei um revés daqueles de deixar a gente procurando saber onde está. O transcorrer disso tudo gerou à minha família enormes prejuízos, dívidas, e não conseguíamos vencer a correnteza que nos "embargou" sonhos e projetos e deixou nossa vida cheia de limitações.

Quando fazemos um processo de reflexão sobre nossa vida devemos tomar cuidado para não cairmos na vala da amargura e da autocomiseração procurando culpados, ou não os liberando quando sabendo quem são, ficando a choramingar "por quê eu?" "por quê comigo?", etc.. Isso é sermos nosso próprio carrasco.

Retomando o pensamento: Enquanto lamentava as últimas portas fechadas, essas lembranças todas vieram-me à mente e discerni o momento. Ou eu daria vazão aos iminentes sentimentos regidos pela amargura, ou eu levaria o fardo a Jesus, e me reportaria humildemente a Ele como a canção que diz "resoluto mas submisso... tudo entregarei".

Nesse momento vieram-me à mente os versículos de Isaías 53:7 "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca." e de Mateus 11:29 "Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas."

Quando meditei em "Ele não abriu a sua boca", entendi o que o Senhor espera de nós. Dependência e Permanência absolutas n'Ele e d'Ele são as atitudes mentais que devem reger nosso comportamento, análise e decisões diante das circunstâncias e eventos da vida e de pessoas, quer estas passem por nós deixando boas ou más impressões.

Como um servo dedicado, Jesus como homem, aprendia a obedecer, leia Hebreus 5:8, dependia em tudo de seu Pai divino e entendia que sua missão era fazer a vontade d'Aquele que o havia enviado. Embora lhe fosse difícil o momento da entrega para o martírio vicário, Ele disse "não seja feita a minha vontade mas a sua".

Penso nas pessoas que tiveram suas vidas completamente alteradas por eventos fortuitos e inesperados como doenças, acidentes que causaram morte, deficiência física, separação dos pais, perdas e mais perdas.

Apenas um olhar de fé para Jesus e todo seu caminho do Getsemâni ao Calvário basta para saltarmos o nosso olhar para a eternidade e para o maravilhoso momento em que "E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas." Apocalipse 7:17 e 21:4.

Retomar a vida depois dessa meditação foi estimulante  e reconfortante, os desafios não sumiram, não, mas a Palavra de Deus, que é espírito e vida, trouxe-me uma renovação da passagem de Romanos 8:28 "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito"

Quero convidá-lo a refletir sobre sua vida considerando-a à luz de "Ele não abriu a sua boca".

Espero que esta Palavra o tenha abençoado.

No amor de Cristo Jesus,

Pastor Gerson Luiz G. Lima


Quando tudo parece estranho ao redor | Buscar tua face é preciso Deus
Quando agente não sabe o que está ocorrendo | Buscar tua face é preciso Deus
Quando a fúria dos ventos vem contra nós | E a vontade é sumir e calar a voz

É nessa hora que agente precisa lutar | E jamais desistir
Justamente agora é o momento de se humilhar | E busca a face de Deus

Mira no alvo das portas do inferno | E arremeter com fúria e fé contra elas
Completamente ungido e revestido de poder | Equipado com as armas de guerra

Não parar de orar | Não parar de adorar | Não parar de profetiza
Não para de interceder | Não parar de vigiar | Não parar de lutar
Não parar de sonhar, não parar | Não desistir do chamado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aparente derrota, Vitória de Fato

Amado com amor inabalável

Manhã com Deus