Pular para o conteúdo principal

O Início do Ministério de Cristo


Texto Base: Mateus 4:13-17 (se puder, faça a leitura do capítulo 4 inteiro)

"E, deixando Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima, nos confins de Zebulom e Naftali;
Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías, que diz:
A terra de Zebulom, e a terra de Naftali, Junto ao caminho do mar, além do Jordão, A Galiléia das nações;
O povo, que estava assentado em trevas, Viu uma grande luz; aos que estavam assentados na região e sombra da morte,A luz raiou.
Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus."
Mateus 4:13-17


Jesus começou seu ministério em Cafarnaum, numa região estratégica chamada de  GALILÉIA DOS GENTIOS. Ali encontrou um povo carente de Deus, sobre o qual o profeta Isaías profetizou centenas de anos antes dizendo: "A Galiléia das nações;O povo, que estava assentado em trevas, Viu uma grande luz; aos que estavam assentados na região e sombra da morte,A luz raiou."  Isaías 9:1-2.

A decisão de Jesus além de ser um cumprimento profético, foi muito estratégica. Esse pedaço de terra junto ao mar da Galiléia, era uma região que não fora totalmente conquistada por Israel nos tempos de Josué e o povo ficou misturado com os gentios que não foram expulsos da terra (teria sido providência de Deus essa porta aberta para nós, os gentios?).

Como falei acima, o profeta Isaías lançou a Profecia de que o Senhor iniciaria seu ministério ali. O texto de Isaías 9:1-2 equivale a Mateus 4:15,16 e em Isaías 9:6 e 7 lemos sobre o desígnio e identidade do Messias (O Enviado) e sobre a base de seu governo: "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isto". Isaías 9:6,7.

GALILÉIA significa círculo ou distrito e se refere a toda a região em volta do mar da Galiléia, que abrangia a fronteira com a Síria e Fenícia.

Nos tempos de Cristo a Galiléia era uma província romana na Palestina governada por Herodes o tetrarca. Numa das margens ficavam as cidades de Israel de Cafarnaum, Betsaida, Corazim e Magdala e, um pouco mais abaixo, Tiberíades, além de Caná e Nazaré que ficavam mais ao centro não às margem do Mar da Galiléia. Na outra margem ficava a Síria, e Decapolis (dez cidades romanas construídas na Síria).

O Mar da Galiléia, que também é conhecido como o Lago ou Mar de Genesaré ou Lago de Tiberíades, é na verdade um grande lago de água doce abastecido pelo rio Jordão. O Jordão é o único rio que corre abaixo do nível do mar.

Devido essa proximidade com a Síria e Fenícia, e do fato do povo de Israel que morava ali estar misturado com os povos que não foram expulsos, além dessa influência romana nos tempos de Cristo e seu dialeto corrompido, os habitantes da Galiléia sofriam com a discriminação dos judeus e GALILÉIA e ser GALILEU eram termos de desprezo tanto para judeus como gentios. (Veja João 7:52).

No entanto, foi dali que Jesus chama seus primeiros discípulos (André e Simão e João e Tiago) - Mateus 4:18-23. E sua primeira mensagem foi "Arrependei-vos porque está próximo o reino de Deus" Mateus 4:17 e 23.

O impacto de sua mensagem e ministério foi tanto na região da Galiléia, Síria e Decapolis com milagres, curas e libertação. Na sequencia, algum tempo depois, Mateus relata que o Senhor Jesus realizou a libertação do homem gadareno que tinha uma legião de demônios e da cura e libertação da filha da mulher síria (Mateus 15:23). - Como curiosidade, uma legião de soldados romanos normalmente era uma grande porção do exército romano que variava entre 8 a 12 mil soldados que saíam para batalha, e nunca menos de 1000 quando havia uma incursão demorada e com baixas de guerra - seriam tantos os demônios assim atormentando o homem de Gadara?

Após esse fundo histórico quero trazer-lhes as considerações práticas para as nossas vidas sobre o início do ministério de Cristo:
  •  Cristo, antes de começar seu ministério foi batizado por João Batista (Mateus 3:13-17). E então foi impelido pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo. Após ter jejuado por 40 dias e 40 noites teve fome e o diabo começa uma sequencia de 3 provações às quais Jesus resistiu usando a Palavra de Deus (Está escrito...). Foi tentado nas NECESSIDADES BÁSICAS (teve fome) - SEGURANÇA (depender de Deus ou tentar a Deus) - PODER X MISSÃO, VALORES e PRINCÍPIOS DO REINO DE DEUS. Interessante é que o apóstolo João menciona isso também em 1 João 2:15-17 como sendo AMAR O MUNDO (sistema de valores). Quem ama o mundo o amor do Pai não está nele.
    • Os hebreus (a nação de Israel) também foi provado no deserto nos 40 anos que por lá passou antes de entrar na Terra Prometida. Em Deuteronômio 8:2 ao 4: "E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não. E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem.
      Nunca se envelheceu a tua roupa sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos."
    • Nós também somos impelidos para o "nosso deserto", situações em nossas vidas a fim de sermos provados em nosso caráter e aprovados para a vida cristã.
    • Cristo ficou no deserto 40 dias e venceu pela Palavra de Deus. O povo hebreu foi para o deserto e só saiu de lá após 40 anos, quando estavam prontos para dizer: "Então responderam a Josué, dizendo: Tudo quanto nos ordenaste faremos, e onde quer que nos enviares iremos. (Josué 1:16). Nosso tempo de deserto é o tempo que levamos a nos render ao Senhor.
  • Cristo Começou seu ministério no meio de um povo em trevas e assentado no vale da sombra da morte. E ali brilhou a luz do evangelho.
    • Precisamos que o Senhor se importa com as pessoas e reconhece seu estado querendo assim salvá-las:
      • Mateus 9:36 - Ele nota os que são como ovelhas desgarradas, cansadas e sem pastor (sem direção e sem o guia de suas almas);
      • Isaías 53:6 - Nós mesmos andávamos assim desgarrados, mas ele nos achou
      • Mateus 18:11 - Seu ministério é salvar o que estava perdido.
  • O ministério de Jesus incluia:
    • Proclamar a mensagem de Arrependimento como preparação para receber o Reino de Deus;
    • Anunciar a chegada do Reino de Deus: Restauração da paz e justiça perdidas no pecado. E o alerta era "buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e sua justiça" - Lucas 12:31;
    • Notamos que o Reino de Deus proclamado se mostrava:
      • Desfazendo as obras do diabo - Lucas 11:20
      • Curando os enfermos e libertando os cativos do diabo - Lucas 10:9, Atos 10:38
      • Restaurando a justiça e a equidade - Lucas 13:18-30 e observado nos ensinos do Sermão do Monte (Mateus capítulo 5, 6 e 7)
      • Perdão dos pecados - Marcos 2:5 e 10, Mateus 1:21;
    • O apóstolo Paulo falou do reino de Deus como sendo JUSTIÇA - PAZ - ALEGRIA no ESPÍRITO SANTO (Romanos 14:7);
  • Quando Jesus chamou os primeiros discípulos (Mateus 4:18-23) lemos que eles IMEDIATAMENTE o seguiram. Que maravilha isso!!!
    • Nós também devemos ser desprendidos e respondermos afirmativamente ao chamado do Senhor Jesus;
    • Nosso campo missionário é, inicialmente, nossa casa, nossos familiares, parentes e amigos. Também pessoas de nosso círculo social, em nossa escola, faculdade, empresa, vizinhos, entre outros; Estamos onde estamos não é por acaso. Deus nos colocou ali para "manifestarmos o Reino de Deus às pessoas, para aqueles que estão em trevas e na região da sombra e da morte. Precisamos estar prontos para mostrar "as virtudes daqueles que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz" 1 Pedro 2:10.
  • Ao anunciar o Reino, Jesus também curava as pessoas de suas mazelas, sofrimentos, doenças e tormentos (Mateus 4:24)
    • Isso também é nosso encargo e o poder para desempenharmos esse ministério foi-nos dado: Marcos 16:17;
  • Por fim, uma reflexão sobre o homem gadareno que fora um endemoninhado:
    • Embora possesso de uma legião de demônios, nenhum deles conseguiu impedí-lo de chegar a Jesus para adorar e ser liberto. Nada impede uma alma faminta de buscar sua libertação no Senhor: "E, saindo ele (Jesus) do barco, lhe saiu logo ao seu encontro, dos sepulcros, um homem com espírito imundo... E, quando viu Jesus ao longe, correu e adorou-o." Marcos 5:2-6
    • Tão logo ele foi libertado ele queria ficar com Jesus, mas o Senhor o comissionou a manifestar (testemunhar sobre) o Reino de Deus em sua cidade: "E, entrando ele no barco, rogava-lhe o que fora endemoninhado que o deixasse estar com ele. Jesus, porém, não lho permitiu, mas disse-lhe: Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes quão grandes coisas o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti.E ele foi, e começou a anunciar em Decápolis quão grandes coisas Jesus lhe fizera; e todos se maravilharam."
      Marcos 5:18-20;
    • Sua vida transformada por Jesus foi um impacto tremendo que abalou as trevas e tocou os corações das pessoas;
    • Assim também, a transformação de nossas vidas por Jesus é nosso testemunho de vida que pode causar um impacto poderoso a favor do Reino de Deus, naqueles que nos conhecem.
Pensamento para meditar: "Devemos responder afirmativamente ao chamado do mestre. Nossa transformação de vida pode impactar nossa geração".

Por Gerson Luiz Garcia de Lima
Pastor da Comunidade Evangélica Restauração e Vida.
Mensagem pregada em 10/05/2015

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Há Esperança para a Árvore Cortada – JÓ 14.7-9

Romanos Capítulo 8 Versículo 25,26. (Tradução King James Atualizada)


"Porém, se esperamos por algo que ainda não podemos ver, com paciência o aguardamos. Do mesmo modo, o Espírito nos auxilia em nossa fraqueza; porque não sabemos como orar, no entanto, o próprio Espírito intercede por nós com gemidos impossíveis de serem expressos por meio de palavras."

HÁ ESPERANÇA PARA A ÁRVORE CORTADA – JÓ 14.7-9

A vida é assim... Há dias de alegrias e outros de tristezas, há momentos de grandes vitórias e outros de decepções. Essa vida é imprevisível. O texto sagrado fala da “árvore cortada” e Jó vivia um momento de cortes em todas as áreas de sua vida.

De repente perdemos o emprego, é a crise, vem a enfermidade ou o problema familiar e outros tantos. A Palavra de Deus afirma que “há esperança”. Ao cheiro das águas e tudo muda... É a presença do Espírito Santo que vem nos ajudar – Rm 8.26

De onde vem o corte?

Nesta hora ouvimos muitas vozes até para acusar... Calma!

Os pontos de corte são 3, a…

Um Evangelho que transforma

"Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé." Romanos 1:16,17        O evangelho que somos chamados a viver é um evangelho MOTIVADOR, INSPIRADOR e TRANSFORMADOR.
       Jesus afirmou ser o PÃO DA VIDA (Mateus 6:48). O termo PÃO DA VIDA é de muita importância pois é o alimento básico que está em todas as mesas. Do rico ao pobre.        Tudo o que for essencial e necessário não nos faltará, é promessa de Deus.        Porém, muito mais que simplesmente se aproximar de Jesus pelo que Ele pode fazer por nós, o Evangelho que somos chamados a viver e comunicar é o evangelho da transformação, da restauração de nossas vidas pelos valores do Reino de Deus. Fato que muitas vezes nos faz ficar na contramão do pensamento deste mundo. Por isso quem ama esse mundo (e seu sistema de valores) …

Um exemplo de Oração

"(Jesus) Ele foi um pouco mais adiante, ajoelhou-se, encostou o rosto no chão e orou..." (Mateus 26:39)
Há várias coisas para nós aprendermos da parte da oração do Salvador em Sua hora de provação. A primeira é que a Sua oração era oração solitária; ele se retirou até mesmo de Seus três discípulos preferidos. Da mesma maneira nós devemos orar em segredo, especialmente em tempos de provação. A oração familiar, oração social, oração na Igreja, são preciosas, mas elas não são suficientes.

Em segundo lugar, foi oração humilde. Lucas diz que Ele ajoelhou-se, mas Mateus diz ele "encostou o rosto no chão"e você deve fazer o mesmo. Se você é um humilde servo do grande Mestre, então pó e cinzas devem cobrir a sua cabeça! Seja humilde diante Dele, e Ele o exaltará no devido tempo.

Em seguida, notamos que a Sua oração era terna e amorosa. Ele orou ao Seu "Abba, Pai", literalmente, o seu "Papai". No dia de sua provação você…