A marca de uma grande igreja

A meditação a seguir, adaptada do livro "O Que Deus tem de melhor para Minha Vida" do Escritor Lloyd J. Ogilvie publicado pela Editora Vida, revela-nos alguns pontos muito importantes para avaliarmo-nos no contexto da Igreja de Jesus Cristo. 

Muito mais do que avaliar denominações religiosas, será interessante que nós mesmos passemos pelo crivo desta pequena lista de checagem e, aproveitando a "alvorada" de um novo ano que se aproxima, façamos de nossa vida com Deus uma vida de comunhão e propósitos, alinhada com a vontade do Senhor Jesus.

Comecemos pela Leitura bíblica de Atos 2:38-47.


Versículo-chave: Então os que lhe aceitaram a palavra foram batizados; havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas (Atos 2:41)

Eis aqui um quadro da igreja como devia ser e que serve de referência para todas as igrejas em todas as épocas.

Tinha Cristo como centro

As pessoas que se uniam à Igreja haviam aceitado sem rodeios a pregação de Cristo - crucificado, ressurreto, habitando nos discípulos. O Cristo vivente era o seu Salvador, Senhor e Amigo íntimo. As igrejas, ao se tomarem instituições religiosas, afastam­ -se de Cristo e perdem sua eficácia e poder. A fonte da vitalidade é o ensino e a pregação da vida em Cristo e Cristo em nós. E é essa verdade que dá poder e torna uma igreja dinâmica.

Era uma Igreja que orava 
A oração era o canal mediante o qual o Espírito do Senhor fluía nos crentes e, através deles, de uns para com os outros. Uma igreja que ora transforma-se numa igreja sobrenatural. Ousa tentar o impossível, sabendo que aquilo para o qual o Senhor dá a direção, ele também provê. Tantas igrejas hoje em dia estão tentando realizar somente as coisas que conseguem fazer com a força humana. O que está a sua igreja ousando executar no nome de Cristo, que somente o Espírito d'Ele poderia realizar?

Era uma Igreja amorosa e generosa
Não somente se dedicavam a Cristo, mas também uns aos outros na vida comum da igreja. As necessidades materiais e espirituais eram partilhadas com a compreensão de que a porção que cada um dava era para o benefício mútuo de todos.

Era uma Igreja que curava
O mesmo poder para curar as necessida­ des psicológicas, físicas e espirituais das pessoas, revelado em Jesus de Nazaré, agora estava presente na Igreja. Ele deu o dom de curar mediante a oração, a fim de minorar o sofrimento do povo.

Era uma Igreja que crescia
Mas, perceba-se, que era o Senhor quem diariamente acrescentava as pessoas. Ele havia criado uma Igreja magnética, na qual as pessoas amavam a ele e umas às outras.

Para Refletir: "Dedicação alguma a Cristo será completa sem o propósito de renovação da igreja."

Desejo-lhes um ano de 2012 de grandes bênçãos e de grande comunhão com Jesus Cristo. Que Ele seja o CENTRO  de nossas vidas. A Ele a honra, a força, a glória e o poder para Sempre.
Pastor Gerson Luiz 
Comunidade Restauração e Vida
Extraído e Adaptado  do livro "O que Deus tem de Melhor para Sua Vida" 
de Lloyd John Ogilvie - Editora Vida

Dr. Lloyd John Ogilvie concentra seu ministério sobre o cuidado, encorajamento e apoio às empresas, políticos e líderes comunitários. Durante 23 anos atuou como pastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Hollywood, Califórnia, e também tinha um rádio nacionalmente sindicado e do ministério de televisão. De 1995 a 2003, atuou como capelão do Senado dos Estados Unidos. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aparente derrota, Vitória de Fato

Amado com amor inabalável

Manhã com Deus